Você já ouviu falar de Internet das Coisas? O termo descreve um cenário em que numerosos objetos do seu dia a dia são conectados à internet comunicando entre si. O interesse em torno da Internet das Coisas (Internet of Things em inglês, ou IoT) vem crescendo exponencialmente, assim como a idealização de projetos que utilizam essa tecnologia. As inúmeras possibilidades de aplicação da IoT colocaram esse recurso no topo da transformação digital nos negócios.

Definição

Gartner define a Internet das Coisas como “uma rede de objetos físicos que contém tecnologia embarcada para se comunicar e interagir com os dispositivos internos ou com o ambiente  externo” . A base para o funcionamento da IoT são sensores e dispositivos, que tornam a comunicação entre as “coisas” possível. Além disso, é preciso um sistema de computação para analisar os dados recebidos e gerenciar as ações de cada objeto conectado a essa rede. A IoT pode ser aplicada em diversos setores, seja para otimizar as atividades de uma indústria ou facilitar a vida dos cidadãos, hoje em dia isso já é uma realidade e oferece novas oportunidades e desafios para as empresas.

A IoT já não é mais uma tendência ou uma previsão, é uma realidade que está transformando as indústrias, os negócios e as nossas vidas. O Gartner estima que a Internet das Coisas incluirá 26 bilhões de unidades instaladas até 2020, e com isso fornecedores de produtos e serviços de IoT devem gerar uma receita adicional superior a US$ 300 bilhões até o mesmo ano.

Um caso de uso inovador: Os empregadores estão usando a Internet das coisas para proteger os trabalhadores

Em aplicações comerciais, os dados da Internet das coisas, produtos conectados de forma inteligente já estão melhorando o desempenho operacional, melhorando a experiência dos clientes e expandindo os produtos e serviços além dos limites tradicionais.

Por exemplo, a Internet das coisas vem ajudando os empregadores a prevenir lesões e acidentes de trabalho, monitorando os movimentos dos funcionários em áreas de alto risco para alertar sobre perigos potenciais.

As empresas também estão usando tecnologias wearable (dispositivos tecnológicos que podem ser utilizados pelos usuários como peças do vestuário) para ajudar os funcionários assumir o controle de sua saúde, documentando seu nível de padrões de sono, queima de calorias e atividade, o que leva a diminuir as taxas de absentismo e de saúde economias de custos mais elevados.

Assim, com os benefícios da informação integrada, os produtos industriais e os objetos de uso diário poderão ter identidades eletrônicas ou serem equipados com sensores que detectam mudanças físicas à sua volta. Estas mudanças transformarão objetos estáticos em coisas novas e dinâmicas, misturando inteligência ao meio e estimulando a criação de produtos inovadores e novos serviços.

Referencia: http://blogs.microsoft.com/iot/2016/08/24/risky-business-how-iot-is-helping-insurers-improve-service-and-reduce-risk/#Q1Y5HEBcryamSSdF.99